domingo, 1 de janeiro de 2012

VÉU DE NOIVA UMA LENDA DA TELEVISÃO BRASILEIRA!

“Rumo estrada turva sou despedida/ por entre lenços brancos de partida/ em cada curva sem ter você... Vou mais só corro/ rompendo laços, abraços, beijos, em cada passo é você quem vejo/ No tele-espaço...” Pois é... O tele-espaço foi desligado para sempre! Quando o assunto é a primeira telenovela da Rede Globo contemporâneo (estilo Realismo) do horário nobre. A publicidade da época era: "Em Véu de Noiva tudo acontece como na vida real. A novela verdade". Os diálogos eram curtos e com uma linguagem coloquial, Véu de Noiva era inovação em todos os sentidos, desde os textos, participações especiais, cenografia, sonoplastia e novas estrelas que faziam a suas estréias na grandiosa Rede Globo de Televisão. As cenas externas mostrava as belezas naturais do Rio de Janeiro, os lugares da moda, boates e bares do bairro de Ipanema. As pistas com carros de Fórmula-1 em alta velocidade nas curvas do delírio do primeiro grande IBOPE nacional da emissora. A novela correu para uma explosão de audiência no país!




Véu de Noiva teve 221 capítulos, foi escrita por Janete Clair, dirigida por Daniel Filho. Exibida em preto-e-branco pela Rede Globo entre 10 de novembro de 1969 e 06 de junho de 1970. O telespectador acompanhava em cada capitulo a corrida para o amor da jovem Andréa e do “Ás” do volante Marcelo Montserrat. Houve duas grandes estréia no elenco: A majestosa atriz e eterna Namoradinha do Brasil Regina Duarte, a divina estrela Betty Faria que fazia Irene a antagonista da estória e Darlene Glória atriz de cinema, fez sua primeira novela com a personagem Leda. Regina fazia a mocinha Andréa impecável por sua beleza. É uma menina humilde, balconista de uma loja em Botafogo e sem recursos materiais. Mais uma linda noiva apaixonada, que no dia do seu casamento descobre que o seu noivo Luciano tem um romance secreto por sua irmã Flor, e que a mesma esta grávida. O noivo Luciano abandona Andréa no altar, desesperada com a situação ela sai correndo atrás do carro em que ele fugia e acaba sendo atropelada na Rua, por Marcelo Montserrat um campeão do automobilismo.







A noiva abandonada e traída tem o rosto desfigurado. E do acidente fica-lhe uma monstruosa cicatriz. A partir daí, Andréa é tomada por um complexo de inferioridade causando nela uma repugnância contra si mesma. A cicatriz no rosto de Andréa é coberta com os próprios cabelos longos. Marcelo é perseguido por um sentimento de culpa por atropelar Andréa. E numa corrida para o amor, a jovem Andréa encontra em Marcelo Montserrat o amor perdido. Traumatizado com o acidente que provocara, Marcelo resolve abandonar o automobilismo. Mas depois de muito tempo, diante da falência do pai, é obrigado a voltar ás pistas para subsistir. Foi nessas idas e vindas que ele e Andréa se apaixonaram perdidamente, mas tiveram que enfrentar mil obstáculos para permanecerem juntos. O grande “Ás” do volante internacional de Fórmula-1 se casa com sua amada, no auge da felicidade de Andréa; Luciano descobre a sua paixão pela a ex-noiva, mas Andréa não o quer de volta. Andréa faz plástica e recupera a sua beleza. Outro detalhe da primeira personagem da Regina Duarte na Rede Globo foi à semelhança com a sua tia assassinada, Roberta que era loira e Andréa morena. Helena dificulta o romance de Marcelo e Andréa, pois sabe que ela é sobrinha da mulher que matou, e Andréa passa a usar a sua aparência fisíca com Roberta a seu favor e contra a tia assassina. Emprega-se na casa dos Montserrat como enfermeira de tia Cora, e, usando uma peruca loura, provoca o caos na vida de Helena, chegando a deixá-la louca, pois Helena passa a acreditar que Roberta voltou para assombrá-la. Andréa caracterizada da falecida  Roberta provoca Helena, dizendo: Sou Roberta, Helena! Olhe bem pra mim!





Na trama, Flor a irmã, traidora. Personagem de Myrian Pérsia que engravidava do futuro cunhado Luciano, e não queria assumir o filho sozinho por vergonha de ser mãe solteira. Com isso resolveu abandonar a criança, que ficou sob a guarda da bondosa irmã Andréa. Dona Rita, mãe de Andréa e Flor procura o ex-futuro genro Luciano, para  exigir uma explicação, por causa da desgraça que ele causou a suas duas filhas. Na discussão Dona Rita mata Luciano com um tiro. Com o passar do tempo, Flor se casa com outro homem, que deseja ter filhos. Flor por sua vez, tem duvidas, se pode ou não ficar grávida novamente, por causa das complicações no nascimento do seu primeiro filho. Então, Flor decide ir à cidade de Salvador na Bahia para procurar um médico que pudesse lhe dar a confirmação definitiva de sua esterilidade. Na época a novela das 10 horas era Verão Vermelho, da autoria de Dias Gomes esposo da autora Janete Clair. Daí o inusitado acontece pela primeira e única vez na história da televisão brasileira. O encontro das duas novelas com dois grandes personagens, Flor e Dr. Flavio (Paulo Goulart), um medico charlatão e fugitivo da cidade em que morava. Dr. Flávio diz que ela não poderia mais ter filhos, Flor fica catatônica com a confirmação e resolve tomar o seu filho biológico da irmã Andréa de volta. A partir deste momento, a novela começou a girar ao redor da disputa das duas irmãs. Com quem ficaria a criança? Com a mãe adotiva ou com a mãe verdadeira, que a abandonara... A disputa de Regina Duarte e Myrian Pérsia pela guarda da criança começava a mobilizar o país. Na novela, o caso foi parar na justiça, e Daniel Filho, o diretor da trama, teve a idéia de realizar um julgamento de verdade em cena. Solicitou a um juiz de verdade, Eliézer Rosa, que armasse um júri. E os destinos da novela foram parar nas mãos do juiz. Ninguém, nem a autora, nem os atores e nem o próprio diretor sabiam por antecipação qual seria o resultado do fim da novela. Para não perder a emoção, o julgamento foi gravado direto, sem ensaio. A tensão das atrizes era, portanto, totalmente real. Por fim, ganhou a mãe adotiva. Véu de Noiva finalizou com o amor de Andréa e Marcelo, que venceram sua corrida romântica para a felicidade. E de quebra... Também ganharam a corrida da audiência no horário nobre.


 
Era uma novela que teria de ser preservada com todos os seus capítulos na integra, por se tratar de uma obra clássica televisiva e quem sabe futuramente poderia ser comercializada em DVD. A Rede Globo sofreu no ano de 1976 um grande incêndio que acabou destruindo boa parte do seu acervo de imagem e som. Alguns permanecem acreditando sobre a existência de abertura e capítulos existentes ou preservados. Mas sempre que se fala em Véu de Noiva a emissora exibi o mesmo cinejornal da novela, ou seja, cenas das gravações e as chamadas, onde estão? Provavelmente na memória de alguns que tiveram a oportunidade na ocasião de ter assistido essa primeira preciosidade Global. Com sua primeira trilha sonora que foi especialmente composta e lançada no mercado fonográfico, produzida por Nelson Motta. Teletema, interpretada pela cantora Regininha. Irene, canção que Caetano Veloso foi gravada por Elis Regina e Chico Buarque em parceria com Vinícius de Moraes, compôs Gente Humilde para o núcleo pobre da trama. O LP vendeu 70 mil copias, na época considerada venda bombásticas para uma trilha sonora da telenovela. Daniel Filho lembra que pela primeira vez se lançou um disco com, musicas feitas especialmente para uma novela. Segundo ele, essa foi uma grande jogada de marketing, porque um produto promovia o outro, numa época em que a TV Globo não tinha ainda a hegemonia do mercado televisivo brasileiro. Daniel Filho também criou a abertura de Véu de Noiva que tinha uma bandeira quadriculada daquelas das corridas de carros ia esmaecendo e, por baixo dela, surgia a corrida de Fórmula-1. Na bandeira iam aparecendo os nomes dos atores com a corrida de Fórmula-1. Era patrocinada pelo leite de magnésia de Philips, no Rio. Quando terminava o capítulo entrava aquela cena de corrida de automóveis e um vidro imenso do leite de magnésia ao lado e a vinheta do “estamos apresentando”: era uma roda de carro de corrida que girava sobrepondo-se a última cena apresentada. O tema de abertura era Azimuth, Mil Milhas do grupo Apolo IV e autoria de Marcos Valle . No disco constava como música de abertura a dos Youngsters, que não era o tema de abertura da novela conforme anunciava. Outro grande tema romântico era “I´LL CATCH THE SUN " ,encontrado somente em compacto simples , não está na trilha sonora original e a procura foi imensa na época .Na capa do compacto tem escrito ; tema de amor da novela "Véu de Noiva ". Além da trilha sonora foi a primeira vez que houve uma cirurgia plástica na telenovela para retirar a cicatriz do rosto da Andréa e a famosa cicatriz permaneceu por muitos capítulos. O piloto escocês de Formula-1 Jackie Stewart, de passagem pelo Brasil, gravou uma participação especial na novela. A maga das oito Janete Clair mesclava personagens de ficção e celebridades da época, como o poeta Vinícius de Moraes e o cronista Carlinhos de Oliveira, o que despertou o interesse do público jovem. O elenco foi uma pista de grandes atores como Paulo José ( Zé Mário), Ana Ariel (Rita), Darlene Glória (Leda), Carlos Eduardo Dolabella (Armando), Cláudio Cavalcanti (Renato Madeira), Glauce Rocha (Helena), Djenane Machado (Maria Eduarda), Gilberto Martinho (Felício Madeira), José Augusto Branco (Sérgio) e Geraldo Del Rey (Luciano), Zilka Salabarry (Tia Cora), Betty Faria (Irene) entre outros... É lamentável que essa novela lendária não poderá ir para o canal Viva nem mesmo num poderoso amarelo e preto Box de DVD.




FOTOS DOS BASTIDORES DE VÉU DE NOIVA (1969/70)




FOTOS DOS BASTIDORES DA NOVELA VÉU DE NOIVA
 
GRAVAÇÕES DA NOVELA VÉU DE NOIVA (1969/70)

UM DIA PASSOU VÉU DE NOIVA NA TELEVISÃO!

Nenhum comentário: